Publicações recentes

Contributors

Prefeito João Alves recebe o movimento ‘Não Pago’

quinta-feira, 25 de julho de 2013
O prefeito João Alves Filho recebeu hoje, 25, representantes do movimento 'Não Pago', que levou uma série de reivindicações a serem discutidas. A audiência aconteceu depois que João Alves recebeu por escrito um pedido formal para dialogar com representantes do movimento.
Defensor das manifestações, pois são atos que fazem parte da democracia, João Alves fez questão de lembrar que considera legítimos os protestos, mas que repudia os atos de vandalismo cometidos em prédios públicos. "Tenho maior respeito pelos princípios da democracia, aos quais os movimentos populares fazem parte, inclusive já fiz parte, mas não podemos confundir nem aceitar que essas manifestações ultrapassem os limites democráticos fazendo quebra-quebra", disse o prefeito explicando que, de acordo com os representantes dos movimentos, eles não foram os autores dos atos de vandalismo, e o prefeito acreditou na verdade informada pelo movimento.
"Os representantes do movimento me trouxeram, por escrito, uma série de pontos a serem discutidos. Conversamos por mais de duas horas e algumas dessas reivindicações foram conversadas e respondidas de imediato. Mas outros pontos precisam ser analisados com calma, marcamos um novo encontro para dia cinco de agosto", esclareceu o prefeito destacando que uma das solicitações do movimento foi a redução do valor das passagens. "Eles alegaram que o cálculo feito pelos nossos técnicos estava equivocado. Como compreendo que todos estão passíveis a erro, pedi que eles trouxessem para a próxima reunião uma relação detalhada e justificada com os pontos que eles consideram equivocados".
João Alves se comprometeu em analisar todos os pontos abordados pelo movimento e que no próximo encontro apresentará resposta para cada um deles por escrito. "Alguns quesitos é preciso ouvir as pessoas responsáveis pela pasta. Mas respondi de imediato a questão sobre a intervenção da VCA, que não será possível, já que, seríamos responsáveis também pelos passíveis da empresa que já está em milhões. Poderíamos quebrar a prefeitura e não seria justo com os milhares de aracajuanos".
Um dos representantes do movimento ‘Não Pago', Isac Giusseppe, disse que esperará o próximo encontro com o prefeito para que as questões sejam esclarecidas e que os atos que culminaram na depredação de prédios públicos não serão apoiado pelo movimento. "O movimento Não Pago sempre colocou que essa não é a forma mais eficiente de reivindicação. Achamos que com o diálogo avançaremos de forma concreta", justificou.

Por A.A.N.

Nenhum comentário:

Postar um comentário