Publicações recentes

Contributors

Moradores viajam e deixam cadela sem água e comida em residência de Socorro-SE

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Moradores da rua 20 no conjunto Marcos Freire I em Nossa Senhora do Socorro (SE) procuraram o portal Coisas de Socorro para denunciar um possível ato de Maus-tratos de animal doméstico. 

A denúncia aponta que uma "cadela" está abandonada em uma residência  que ficou fechada após os moradores terem viajado desde o dia 24 de junho e até o presente momento não voltaram. A contar desta publicação, são 13 dias de abandono.  O animal encontra em situação crítica em meio a urina e fezes e só não morreu ainda de fome ou sede porque os vizinhos estão colocando água e comida.

Revoltados, alguns moradores pediram ajuda ao portal para publicar o descaso e evidenciar que o cão corre risco de morte devido ao abandono.

A denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605, de 12.02.1998 (Lei de Crimes Ambientais) e pela Constituição Federal Brasileira, de 05 de outubro de 1988.
É possível denunciar também ao órgão público competente de seu município, para o setor que responde aos trabalhos de vigilância sanitária, zoonoses ou meio ambiente. Lembrando que cada município tem legislação diferente, portanto caso esta não contemple o tema maus tratos pode utilizar a Lei Estadual ou ainda recorrer a Lei Federal.

Lei de Crimes Ambientais

“Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.
§ 1º. Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º. “A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.”

Constituição Federal Brasileira

Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:
VI – proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas;
VII – preservar as florestas, a fauna e a flora;
Art. 225. Todos têm o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para os presentes e futuras gerações.
§ 1.º Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao poder público:
 VII – “proteger o Meio Ambiente adotando iniciativas como: proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoque a extinção de espécies ou submetam os animais à crueldade.”

A denúncia pode ser feita nas delegacias comuns ou nas especializadas em meio-ambiente ou animais*. Também se pode denunciar diretamente no Ministério Público ou no IBAMA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário